O turismo em Jericoacoara

A atividade turística na região se iniciou de forma incipiente nos anos 80, como um destino de “paz e amor”, procurado por pessoas de espírito hippie, em busca de liberdade e contemplação. Nesta época, Jericoacoara era apenas uma vila de pescadores, sem nenhuma estrutura de hospedagem, energia elétrica e com acesso difícil.

Ao longo dos últimos 20 anos, o destino foi se estruturando, por iniciativa dos próprios nativos e dos novos moradores – brasileiros e estrangeiros – que criaram negócios e investiram na vila.

O principal atrativo de Jericoacoara é o conjunto de sua paisagem exuberante – a dimensão das dunas e o desenho de suas praias – e da diversidade cultural criada a partir da integração das características dos pescadores nativos às de brasileiros de outras regiões do País e de estrangeiros de várias partes do mundo.

Em Jeri, tudo tem um toque slow e descontraído, o que dá a sensação de estar em um lugar fora do tempo. Mas isso não quer dizer que o visitante seja privado do charme, do conforto e do bom atendimento. Muito pelo contrário. O setor de hospedagem progrediu muito no destino.

No princípio, poucas pousadas ofereciam as comodidades como energia elétrica, água quente, estrutura de alimentação e repouso. Hoje existem quase cem meios de hospedagem, que variam desde pousadas de charme a hotéis com acomodações e serviços requintados de padrão internacional. Há ainda opções de hospedagem mais básicas, mas que atendem bem aos padrões mínimos de estrutura e serviços.

A diversidade cultural está muito bem representada na gastronomia local, que é marcada por uma fusão de estilos, tanto da culinária brasileira (em especial a nordestina), quanto da estrangeira. Há restaurantes para todos os gostos e bolsos, porém o destaque está nos restaurantes de charme, que representam da melhor forma a riqueza desta variedade gastronômica.

 

O Turismo de Sol e Praia em Jericoacoara

Jeri surpreende na oferta de atividades turísticas e de lazer que vão além de passar o dia na barraca de praia ou tostando no sol. O destino também oferece diversas opções de ecoturismo, atividades de aventura e turismo cultural para agradar aos mais exigentes e diversificados perfis de turista.

Os pontos de visitação mais procurados são Tatajuba, Mangue Seco e Rio Guriú, Lagoa do Paraíso, Lagoa Azul e Lagoa do Pinguela. A paisagem é muito diversa com vegetações variadas como restingas, dunas, tabuleiros, manguezais, gramados, praias e serrotes, que abrigam mais de 38 famílias de aves, das quais várias espécies são raras ou estão ameaçadas de extinção.

As dunas e as lagoas de água doce são o cenário perfeito para passeios de buggy ou para caminhadas ao entardecer. Um ponto turístico famoso perto da vila é a Duna Pôr do Sol, de onde é possível apreciar tanto o amanhecer como o entardecer no mar. Na vila existe uma Associação de Bugueiros, que assim como as agencias receptivas locais, oferecem passeios a preços acessíveis e com motoristas treinados e cadastrados.

Uma opção mais slow é o passeio de cavalo até o Mangue Seco para a melhor apreciação das belezas da paisagem. No caminho a Tatajuba é possível visitar um reduto de cavalos marinhos.

A Pedra Furada, um dos cartões postais mais famosos do Ceará – resultado de um belo trabalho da ação dos ventos, do mar e do tempo – pode ser visitada durante a maré baixa, passando pelas praias Malhada e do Pontal, numa caminhada de cerca de 3 km. É impossível resistir e não tomar um banho de mar.

Com seus belos atrativos, o destino faz parte da Rota das Emoções, um roteiro integrado com os Estados vizinhos, que envolve paraísos naturais como a Área de Proteção Ambiental do Delta do Parnaíba (PI) e o Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses (MA), além do Parque Nacional de Jericoacoara (CE). Este roteiro, que oferece aventura, praia e ecoturismo, foi premiado em 2009 pelo Ministério do Turismo com o Troféu Roteiros do Brasil, sendo considerado um caso de sucesso do Programa de Regionalização do Turismo na categoria Roteiro Turístico.

Para os praticantes e apreciadores de esportes de aventura, Jeri também tem o cenário ideal. Os bons ventos da região proporcionam condições perfeitas para a prática de surf, windsurf e kitesurf. Além disso, são muito populares o sandboard e a capoeira.

Além das atividades de ecoturismo e aventura, o visitante pode desfrutar de serviços de massagem, jantares em charmosos restaurantes, curtir um happy hour num bar tranquilo ou em casas com música ao vivo, tudo no relaxado e descontraído ritmo de Jeri.

O modelo de gestão descentralizada concebido pelo Plano Nacional de Turismo e implementado pelo MTur prevê a integração de diversas instâncias da gestão pública e da iniciativa privada por meio da criação e organização dos arranjos institucionais.

O projeto Destinos Referência em Segmentos Turísticos desenvolvido pelo MTur em parceria com o Instituto Casa Brasil de Cultura, tem como objetivo criar uma estratégia de governança local, a partir do fortalecimento e aperfeiçoamento de segmentos de mercado, procurando envolver de forma participativa toda a cadeia produtiva e instituições relacionadas com o segmento escolhido, através de prioridades e estratégias definidas e com foco na competitividade.

O projeto tem como premissa a participação efetiva dos representantes locais, fortalecendo as entidades públicas e privadas, o trade e as organizações não governamentais, levando à formação de um Grupo Gestor que assume o papel de líder do processo, buscando assim garantir a continuidade das ações na área do turismo, resultados mercadológicos e a sustentabilidade do destino.

Assim, foram escolhidos dez destinos com características diferentes, em regiões diferentes, para que suas experiências contribuam para criar uma base metodológica que possa servir de modelo para outros destinos no Brasil, validando e consolidando a estratégia de desenvolvimento de políticas públicas, e de ampliação e diversificação da oferta turística nacional.

Gostou do artigo! Então compartilhe com seus amigos.

Outros artigos de interesse