Os Cinco maiores desafios para os chefes

1º Gerentes decepcionam as pessoas diariamente

Isso acontece de várias maneiras. Você critica e corrige o trabalho dos integrantes de sua equipe. Delega tarefas e oferece promoções que muitos funcionários querem, mas poucos obtêm. Exige o cumprimento de regras das quais as pessoas não gostam. Escala funcionários para turnos nos quais eles não querem trabalhar. Aprova certas idéias em detrimento de outras. Toma partido em conflitos. No entanto você também enfrenta situações menos rotineiras, mas realmente difíceis: corta horas extras, salários e benefícios, e até demite funcionários.

 

2º Gerentes forçam as pessoas a sair de sua zona de conforto

Hoje em dia, as organizações enfrentam mudanças constantes e, portanto, você exige que seus funcionários aprendam habilidades novas e superem seus limites. Você os pressiona a se adaptarem a ferramentas modernas e a tecnologias que eles consideram assustadoras, e espera que aumentem a produtividade sem que a qualidade seja prejudicada. Modifica sistemas e questiona processos tradicionais. Pode ser que peça a funcionários mais antigos que se reportem a gerentes mais jovens que eles, ou pode ser que você mesmo seja um desses supervisores jovens incumbidos de gerenciar funcionários mais velhos e seus velhos colegas. E você deve manter o moral elevado enquanto eles têm que lidar com esse desconforto.

 

3° Os gerentes são pressionados por todos os lados

Você sofre pressões de todos os lados. De cima, é pressionado a alcançar metas orçamentárias e de produção cada vez mais alta e a cobrar maior produtividade de seus funcionários. Além disso, também sofre a pressão de colegas gerentes, que o forçam a acelerar, intervir ou recuar, dependendo da situação. Por outro lado, seus funcionários esperam que você defenda as idéias e as ambições deles diante de quem de fato tomam as decisões na empresa. Pressionado por todos os lados, seu papel é de negociador e amortecedor de choques, enquanto procura satisfazer e conciliar essas exigências conflitantes.

 

4º Os gerentes nem sempre podem contar aos funcionários o que eles querem saber

As pessoas o procuram em busca de informações. Contam com você para mantê-las informadas, porque quem tem conhecimento tem poder. Mas ainda que se orgulhe de manter os outros a par dos assuntos, você tem a responsabilidade de ser discreto nas questões delicadas à empresa e ao pessoal. Em algumas ocasiões você precisa ficar calado, por exemplo, quando sua equipe reclama do mau desempenho de um colega. Eles não sabem que você já está tomando providências para resolver a questão. Você gostaria de mostrar que está atento ao problema, no entanto não pode dividir com os funcionários o que está fazendo. Assim você fala em termos vagos que talvez não satisfaçam àqueles que se queixam. Tampouco pode entrar em detalhes quando as pessoas perguntam sobre planos de negócio ou estratégias competitivas. Como chefe, você está constantemente equilibrando duas metas conflitantes: ser o mais transparente possível, satisfazendo o desejo compreensível dos funcionários de saber o que está acontecendo na organização, e manter em sigilo as informações confidenciais da empresa.

 

5º Os gerentes cometem erros

Naqueles dias em que você precisa tomar uma série de decisões, há chances de que cometa um ou outro erro. Isso pode acontecer porque você está impaciente ou cauteloso demais, confiante ou cético demais. Ou pode ser que esteja mal-informado despreparado ou tenha sido pego de surpresa. Você pode simplesmente esquecer algo ou alguém. Ou pode errar nas contas. Qualquer que seja a causa, é importante lembrar que você também erra. Sua maneira de administrar o resultado de seus erros é o que irá determinar se você continuará a ter credibilidade, e até se ela aumentará graças à sua eficácia em lidar com os erros.

Gostou do artigo! Então compartilhe com seus amigos.

Outros artigos de interesse